Sintegra TO

Sintegra TO – Esse programa tem como finalidade um controle fiscal e de padronização de documentos por parte dos fiscos de cada estado.

Não é algo difícil a entender, ainda que tenham inúmeros detalhes, porém, a forma de enviar os arquivos, a necessidade de enviar primeiro ao validador, e as justificativas sobre o porquê do programa Sintegra são basicamente as mesmas.

O site do fisco do estado do Tocantins contém informações detalhadas a respeito do programa Sintegra, aqui estamos dando apenas uma apresentação resumida a respeito do assunto.

É necessário também todo esse procedimento, além de todas as razões já elencadas, para evitar eventuais guerras fiscais entre as unidades da federação por conta de quem seria competente ou não para receber aquele tributo.

Cabe ressaltar também que, em alguns casos, os procedimentos para a declaração do SINTEGRA para contribuintes de outros estados podem variar um pouco, como acontece na Bahia, portanto, necessário informar-se com o fisco do seu estado.

De qualquer forma, apresentaremos aqui alguns pontos sobre o tema para você não se confundir na hora de fazer o seu Sintegra TO.

Sintegra TO
Sintegra TO

O que é o Sintegra TO

As empresas devem manter um controle sobre as operações de suas atividades referentes à compra e venda de mercadorias, bem como de prestação de serviços, seja no Tocantins, ou para outro estado.

Após a elaboração desse arquivo, ao final do mês, o contribuinte deverá enviar ao Sintegra, sistema do governo, para validar a declaração e detectar algum erro.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O SINTEGRA TO

O Sintegra visa também um controle fiscal acerca dessas operações de modo a verificar se os contribuintes estão pagando os impostos relacionados com mercadorias e serviços de maneira adequada, ou seja, pagando as alíquotas correspondentes com cada espécie de operação.

Isso porque, os impostos sobre mercadorias e serviços, como ISS ou ICMS possuem diversas alíquotas, variando conforme o estado, a mercadoria, se é operação interestadual ou dentro do próprio estado, e no caso dos municípios em relação aos impostos de serviços, se a operação é municipal ou intermunicipal.

Visa, portanto, combater possíveis sonegações, havendo maior controle fiscal por parte dos fiscos estaduais.

Conheça também:

Como Funciona o Sintegra TO

Em primeiro lugar, o contribuinte deverá elaborar o arquivo contento o relatório das atividades envolvendo operações com mercadorias ou serviços dentro de um período de tempo, normalmente, mensal.

Após isso, ele deverá submeter o arquivo ao ‘Validador Sintegra’, que é um programa no qual verificará se o contribuinte elaborou o arquivo seguindo tudo o que a legislação exige ou se há alguma pendência.  Em caso de existência de erros, o consumidor deverá arrumar os problemas apontados e submeter novamente ao validador.

Se, dessa vez, estiver tudo ok, ele poderá enviar ao fisco o arquivo.  Normalmente, o validador e o transmissor digital podem ser dois programas distintos ou poderá ser um único programa, e é comum que estejam disponíveis na internet os programas para download.

Se desejar maiores detalhes, acesse o site da Secretaria da Fazenda do Tocantins:  http://www.sefaz.to.gov.br/perguntas-frequentes/sintegra/, que contém todos os detalhes a respeito do Sintegra.

Consulta Sintegra TO

  • Acesse http://sintegra.sefaz.to.gov.br/sintegra/servlet/wpsico01
  • Se quiser consultar por CPF, digite o número do CPF, valide o capta a e clique em consulta por CPF.
  • Se quiser consultar por CNPJ, digite o CNPJ, valide o capta a e clique em consulta por CNPJ.
  • Caso queira consultar pela Inscrição Estadual, digite a ICE, valide o capta a e clique em consulta por I.E.

Endereço e Telefone Sintegra TO

Os telefones para contato são:  0800- 63 1144 ou (63) 3218-1200.  Nesse endereço http://www.sefaz.to.gov.br/institucional/unidades/ você poderá verificar o endereço das unidades da Secretaria da Fazenda no estado do Tocantins.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

Imposto de Renda 2018

Anualmente, os brasileiros têm que acerta conta com o leão, ou melhor, a Receita Federal. O IRPF é um valor anual descontado dos proventos dos trabalhadores e repassados ao Governo Federal. O valor descontado do rendimento é estipulado, também anualmente, pelos órgãos competentes. No Brasil, o imposto de renda 2018 é administrado pela Receita Federal. Caso o trabalhador não entregue o IRPF, pode ser privado de determinas atividades. Portanto, é benéfico que fique por dentro de todas informações sobre o imposto de renda 2018.

Imposto de Renda 2018
Imposto de Renda 2018 – IRPF 2018

Declaração Imposto de Renda 2018

Quem administra a fiscalização sobre as possíveis irregularidades e administra todos os processos do Imposto de Renda é o órgão da Receita Federal.

A  declaração do Imposto de Renda é um documento importante que deve ser enviado à Receita Federal, sendo realizada durante o mês de março e abril de cada ano.  Homens e mulheres devem realizar a declaração de seus gastos, rendimentos e ganhos que obtiveram durante o ano base, como forma de comprovação que os documentos surgiram legalmente.

Não podemos esquecer que a Declaração do IRPF 2018 é feita sobre os valores referentes ao ano base anterior.

Quem deve declarar Imposto de Renda 2018

Deve declarar o imposto de renda 2018 as seguintes pessoas que se enquadram nessas diretrizes:

  • Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados diretamente na fonte, acima de R$40 mil, como 13º salário, prêmios de loterias, ganhos com aplicações financeiras e juros de poupança.
  • Recebeu rendimentos tributáveis na declaração, com soma estipulada em mais de R$24.556,65.
  • Teve, em qualquer período, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, propenso à incidência do imposto, ou fez operações em bolsas de valores, de mercadorias, ou atividades semelhantes.

Restituição Imposto de renda 2018

A Restituição do Imposto de Renda é conhecida como o direito que cada contribuinte possui de receber da Receita Federal o valor da declaração excedente.

Após realizar a sua declaração do Imposto de Renda 2018, é realizada pela a Receita Federal os cálculos e quanto mais deduções você possuir, sendo elas, despesas médicas, dependentes, etc, mais descontos você terá.

O Governo divulga todo final de ano uma lista, que possui o nome e relação dos contribuintes que devem receber a restituição, além de ser divulgada, a lista é disponibilizada no site da Receita Federal (http://idg.receita.fazenda.gov.br/ ). Confira a lista e saiba se você é uma das milhares pessoas a receberem a restituição, se for, com a correção da taxa Selic você receberá seu dinheiro.

Imposto de Renda Pessoa Física e Pessoa Jurídica

Não podemos esquecer que a Receita Federal tributa além de pessoas físicas, as pessoas jurídicas, mas o modo de tributação entre essas, ocorre de maneira diferente.

  • Cobrança do Imposto de Renda 2018 para pessoa física:

Através do Imposto de Renda retido na Fonte (IRRF 2018) e também através da declaração de ajuste anual do Imposto de Renda (DIRP 2018), o seu imposto será cobrado.

Na primeira situação, será descontado diretamente da folha de pagamento do trabalhador o seu Imposto de Renda, já na segunda situação, será cobrado anualmente sobre outros valores do Imposto de Renda que o trabalhador venha a receber durante todo o ano.

  • Cobrança do Imposto de Renda 2018 para pessoa jurídica:

As pessoas jurídicas são consideradas:

  • As empresas;
  • Órgãos do governo;
  • Sociedades;
  • Partidos políticos;
  • Igrejas.

Desses, é cobrado o Imposto de Renda de maneira diferente, sendo através do IRPJ 2018.

Sobre as empresas é cobrado apenas o Imposto de Renda sobre os seus rendimentos mensais.

Não podemos esquecer que os rendimentos da empresa, e dos donos das empresas, não são os mesmos. Dessa forma, os rendimentos da empresa não devem influenciar na pessoa física, no caso, o proprietário ou sócio da empresa. Os rendimentos relativos à participação dos lucros de pessoa jurídica não são tributáveis pelo Imposto de Renda 2018 Pessoa Física, pois já foram tributados anteriormente pelo Imposto de Renda Pessoa Jurídica 2018.

Quem precisa declarar o Imposto de Renda 2018

Mesmo sendo um imposto que atinge grande parte da sociedade, nem todo mundo é obrigado a realizar a declaração para a Receita Federal. Quem precisa declarar são os contribuintes que recebem uma quantia específica de bens de direito, ou que tenham determinada renda.

A seguir mostraremos os requisitos que uma pessoa deve cumprir para assim, realizar a declaração do Imposto de Renda 2018. Os requisitos que iremos mostrar valem para o ano base de 2017, e só é necessário se enquadrar em um dos requisitos para ser obrigado a declarar o Imposto de Renda. Confira:

  • Pessoa físicas que,  receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.123,91 durante o ano base;
  • Pessoa físicas que,  receberam rendimentos não-tributáveis acima de R$ 40.000,00 durante o ano base;
  • Pessoas físicas que possuam bens de direito (inclusive terra) com valor a cima de R$ 300.000;
  • Trabalhadores rurais que, tenham arrecadado um valor superior a 140.619,55 provenientes da atividade rural, durante o ano base;
  • Pessoas que tenham posse ou que movimentaram determinada quantia de bens móveis em bolsa de valores ou mercado de bens mobiliários.

Isenção do Imposto de Renda 2018

Isenção Imposto de renda 2018Nem todos os brasileiros precisam fazer a declaração do imposto de renda 2018. Isto é normal. A Receita Federal anualmente dispensa as pessoas que se encaixam em um determinado representações. Para que seja totalmente isento do IRPF 2018 é necessário:

  • Ter uma renda mensal de, no máximo, R$1903,98 – pouco mais do valor de dois salários mínimos;
  • Ter um rendimento que seja proveniente de aposentadoria, pensão por morte ou reforma (militares);
  • Portar algumas doenças graves enquadrado no regimento da Lei de nº7.713/88.
  • Ou ser diagnosticado com algumas dessas seguintes doenças: esclerose múltipla, AIDS, alienação mental, contaminação por radiação, neoplasia maligna, doença de Parkinson, fibrose cística (mucoviscidose), cegueira, nefropatia grave, tuberculose ativa, espondiloartrose anquilosante, doença de Paget em estado avançado e cardiopatia grave.

Alíquotas Imposto de Renda 2018

Alíquotas Imposto de Renda 2018A receita Federal também divulgou a tabela de alíquotas do Imposto de Renda 2018, para o calendário Base 2017.

  • Para esse ano, estarão isentos de pagar imposto todos os contribuintes cuja renda anual tenha sido de até R$ 22.847,76 estarão isentos do pagamento do Imposto de renda;
  • Os contribuintes cuja soma de todas as rendas tributáveis tenha ficado no intervalo entre R$ 22.847,77 a R$33.919,80, pagarão o imposto com a alíquota de 7,5%;
  • Já para quem a renda anual tenha sido entre R$ 33.919,81 a R$ 45.012,60. Pagará imposto de 15% sobre os rendimentos;
  • Os contribuintes que tiveram a renda anual no intervalo de 45.012,61 até 55.976,16, pagarão 22,5% de imposto sobre os rendimentos;
  • E por fim, qualquer contribuinte cuja renda tenha ultrapassado R$ 55.976,16 pagará 27,5% de imposto sobre a renda.

As alíquotas também podem ser conferidas na tabela abaixo:

Base de cálculo (R$) Alíquota (%) Parcela a deduzir do IRPF (R$)
Até 22.847,76
De 22.847,77 até 33.919,80 7,5 1.713,58
De 33.919,81 até 45.012,60 15 4.257,57
De 45.012,61 até 55.976,16 22,5 7.633,51
Acima de 55.976,16 27,5 10.432,32

A Receita Federal também divulgou a tabela do imposto de renda 2018 e alíquotas mensais a serem pagas, para facilitar o acompanhamento dos dados mês a mês.

Base de cálculo (R$) Alíquota (%) Parcela a deduzir do IRPF (R$)
Até 1.903,98
De 1.903,99 até 2.826,65 7,5 142,80
De 2.826,66 até 3.751,05 15 354,80
De 3.751,06 até 4.664,68 22,5 636,13
Acima de 4.664,68 27,5 869,36

Confira aqui as alíquotas de contribuição do IRPJ 2018, e confira como fazer a declaração do imposto de renda de Pessoa jurídica.

Como declarar o Imposto de Renda 2018

O processo para realizar a declaração do Imposto de Renda 2018 é muito simples, primeiro você deve realizar o download do programa IRPF 2018.

Existem duas maneiras para realizar a sua declaração, são elas:

  • Através da versão MAC e Linux para computador;
  • Através das versões para Android e IOS pelo os dispositivos móveis.

Beja também: confira como usar o portal do SINTEGRA para pagamento de outros tributos, como o ICMSestadual.

Programa Imposto de Renda 2018 para computador

O programa IRPF 2018 está disponível pelo site da Receita Federal para realizar o download, acesse: (http://idg.receita.fazenda.gov.br/interface/cidadao/irpf/2017/download). Após realizar o download deve-se utilizar utilizar toda a documentação necessária e realizar a declaração pelo programa baixado.

Download Programa do IRPF 2018
Download Programa do IRPF 2018

É importante ressaltar que a declaração do IRPF 2018 deve ser realizada até o dia 29 de abril de 2018. Então, marque na sua agenda, calendário, ou em algum lugar para que não se esqueça!

Programa Imposto de Renda 2018 para celular

Para realizar a declaração do Imposto de Renda 2018 através de dispositivos móveis basta baixar o aplicativo da Receita Federal, aprenda o passo a passo abaixo:

  • Abra a loja de aplicativos do seu dispositivo móvel;
  • Busque pelo programa “IRPF”;
  • Realize o download do aplicativo desenvolvido pela “Receita Federal do Brasil”;
  • Após a instalação preencha os dados solicitados.
IR 2018 Celular
IR 2018 Celular

Como fazer a declaração do Imposto de Renda 2018

Para realizar a declaração do Imposto de Renda você deve após a instalação do programa em seu computador, acessar o aplicativo e clicar em “Nova Declaração”.

Caso você já tenha realizado a sua declaração anteriormente, terá um jeito de facilita-la muito, basta você clicar em “importar dados IRPF 2018”, e apenas atualizar os valores inseridos anteriormente.

Caso você deseje realizar uma nova declaração, clique em “declaração de ajuste anual” e preencha os dados que lhe forem solicitados na nova aba que abrir.

Se você tiver duvidas durante o processo de declaração do imposto de renda 2018 você deverá usar como seu guia a barra à esquerda do aplicativo, local que apresenta diversos comandos e opções de preenchimento.

Será preciso que você preencha na declaração do IR 2018 todos os seus bens de direito, rendimentos, e valores que você possua em contas bancárias, fundos de investimento, ou valores e rendimentos dos seus dependentes. É de extrema importância que você fale apenas a verdade, para que não acarrete futuras complicações. As opções que podem ser encontradas na barra lateral para preenchimento do imposto de renda, são:

  • Alimentandos;
  • Bens e direitos;
  • Dependentes;
  • Dívidas e ônus reais;
  • Doações efetuadas;
  • Espólio;
  • Importações;
  • Imposto pago/retido;
  • Pagamentos efetuados;
  • Renda;
  • Rendimentos;
  • Entre outras informações necessárias.

Antes de finalizar a declaração você deve acessar o resumo de dados da declaração e conferir se não há nenhuma informação que não foi inserida, ou se nenhum dado foi digitado errado.

Além de apresentar todos os rendimentos e bens do contribuinte, o resumo do IRPF 2018 irá indicar a quantidade de impostos a serem pagos para a Receita Federal, e o valor da Restituição do Imposto de renda, se esse for o caso.

Caso você já tenha corrigido todos os erros apresentados pelo programa de ajuste anual, chegou a hora de entregar a declaração. Basta clicar em “Entregar declaração” na parte inferior da barra lateral à esquerda, e imprimir o recibo da declaração.

Consulta restituição IRPF 2018

Através do portal da Receita Federal é possível consultar a data em que o pagamento será efetuado em sua conta bancária, caso você tenha direito à restituição.

Consulta Restituição
Consulta Restituição

Para realizar a consulta da Restituição do Imposto de Renda 2018, basta seguir os passos abaixo:

Se a sua restituição ainda não foi divulgada, você pode conferir o calendário Restituição do Imposto de Renda 2018 completo através do portal da Receita Federal por meio de tal link (http://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/Atrjo/ConsRest/Atual.app/paginas/index.asp).

Malha fina do Imposto de Renda 2018

Se houver informações preenchidas erradas, ou informações que não sejam compatíveis aos dados disponíveis pela Receita Federal, a sua declaração poderá cair na Malha Fina do Imposto de Renda 2018.

Esse procedimento serve para apurar possíveis incorreções no preenchimento da declaração, ou tentativas de sonegar o imposto de renda, que pode eventualmente ocorrer. Caso sejam apuradas irregularidades o contribuinte pode acabar tendo que pagar por multas. A malha fina é um procedimento demorado e muito burocrático, então tome cuidado ao preencher as informações.

Malha Fina IR 2018
Malha Fina IR 2018

Caso o cidadão perceba algum erro que cometeu ao enviar sua declaração do imposto de renda com alguma falha, é fundamental que envie uma retificação do imposto de Renda 2018, e o corrija, esse procedimento pode evitar diversos problemas e muita dor de cabeça.

O contribuinte tem duas opções para saber se sua declaração caiu na malha fina 2018, confira abaixo:

  • Realizar um ligação para o número 146, telefone da central de atendimento da Receita Federal;
  • Realize uma consulta a Restituição de seu imposto de renda. Se a restituição aparecer no sistema, quer dizer que por sorte você não caiu na malha fina, porém se você for avisado que existem pendências em sua declaração, procure alguém que possa lhe ajudar, por exemplo um contador, que ira lhe informar como regularizar tal situação.

Multa por Atraso na Entrega do Imposto de Renda 2018

É fundamental que a declaração do imposto de Renda 2018 seja entregue dentro dos prazos estabelecidos pelo Cronograma do IRPF 2018 divulgados pela Receita Federal. O não cumprimento dos prazos pode acarretar multa de até 20% sobre o valor devido ao fisco, sendo a multa mínima pelo atraso de R$ 165,74.

Em caso de atraso, o contribuinte tem até 30 dias para efetuar o pagamento da multa pelo atraso da declaração. Se o pagamento não for realizado nesse prazo, será cobrado juros de mora, com base na taxa Selic. Nesse caso, deve-se emitir o Darf atualizado, através da Pesquisa de Situação Fiscal, disponibilizada pela receita Federal.

Cronograma do Imposto de Renda 2018

Cronograma IRPF 2018A Receita Federal já se adiantou e divulgou o cronograma do imposto de renda 2018. Portanto, é recomendado que pegue um pedaço de papel e uma caneta para anotar as datas e colar em um espaço visível, com objetivo de evitar que esqueça o cronograma.

O órgão federal comunicou que o prazo de entrega do IRPF 2018 começa no dia 2 de março e termina em 28 de abril. No entanto, o programa gerador do imposto de renda estará disponibilizado para download previamente, mais especificamente em 23 de fevereiro. Isto é totalmente benéfico para os contribuintes pois já podem ir elaborando sua documentação e não deixando para última hora da entrega. O simples fato de elaborar o imposto de renda 2018 mais cedo pode lhe prevenir de dores de cabeça.

Como consultar o Imposto de Renda?

Para consultar o imposto de renda de anos anteriores, basta:

  • Acessar o portal da Receita Federal;
  • Na guia lateral “Tributos”, clicar em “pessoas físicas”;
  • E em seguida, consultar os dados sobre o IRPF 2018.

Consulta Imposto de Renda 2018É válido salientar que todas as informações sobre a tributação, como prazos de entrega, alíquotas, cronograma, programas, e lotes de restituição do Imposto de Renda 2018, podem ser consultados diretamente no portal da Receita Federal, sem nenhum custo. O download dos programas para declaração e envio do IRPF são gratuitos, e estão disponíveis para as principais plataformas de computadores, tablets e smartphones.

Está com alguma dúvida sobre o imposto de renda 2018? Diga-nos na área de comentário para que possamos solucioná-los.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

DIRF 2018

Pagar os impostos é dever de todo empresário brasileiro, mas para cumprir com esse dever é preciso estar a par dos tributos obrigatórios e saber como eles funcionam, como é o caso da DIRF 2018.

Para auxiliar-te na hora de fazer a DIRF 2018, preparamos este post que vai ajudar-te a entender o que é a Dirf, como declarar, qual é o prazo para entrega, entre outros aspectos importantes.

DIRF 2018
DIRF 2018

O que é a DIRF 2018?

Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF) é uma obrigação tributária acessória incumbida a toda pessoa jurídica ou empresário que recolhe o tributo e o retém na fonte.

O objectivo desta declaração é verificar se a empresa está fazendo a retenção do Imposto de Renda na Fonte nos salários dos colaboradores que qualificam para esse efeito, evitando assim a sonegação fiscal.

Por isso, na DIRF a empresa deve informar ao fisco os funcionários que observaram a retenção do imposto de renda na fonte e os respectivos valores retidos para cada um deles durante o ano que já findou (o anterior ao presente).

Sendo que na declaração devem constar os rendimentos que foram pagos aos funcionários domiciliados dentro do país (Brasil), sem deixar de fora os rendimentos insectos e não tributáveis; Todos os valores referentes ao Imposto sobre a Renda e/ou contribuições retidas na fonte; entre outras informações.

Então, a DIRF é apenas uma declaração do Imposto e não o pagamento do mesmo como muita gente pensa…

Não deixe de saber quem é obrigado a fazer a DIRF, o prazo de entrega e muito mais, já a seguir.

O que é Dirf 2018
O que é?

Quem deve declarar a DIRF 2018?

Já vale dizer logo que quem é MEI não precisa se preocupar em fazer a DIRF, já que está livre do pagamento do Imposto de Renda.

A DIRF é de uma forma geral obrigatória para as restantes pessoas jurídicas que realizam a retenção na fonte do imposto de renda dos seus funcionários.

Deste modo, a declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte é obrigatória para 4 grupos:

  • Todas as pessoas jurídicas que fizeram retenção do imposto de renda na fonte, por mais que o imposto tenha sido recolhido em um único mês do ano-calendário 2017;
  • Todos os empresários que realizarão operações de envio de dinheiro com destino ao exterior mesmo que não tenha havido retenção do imposto de renda na fonte;
  • Pessoas físicas que tenham pago rendimentos em 2017 mesmo sem ter havido a retenção do imposto na fonte;
  • Firmas que realizaram pagamentos (por mas que tenha sido num único mês) para outras pessoas jurídicas envolvendo tributos como a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL)  e Contribuição para o PIS/Pasep.

Salientando que para uma lista mais completa das pessoas jurídicas e físicas obrigadas a fazer a Declaração deste Imposto, vale consultar a INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1757, de 10 de Novembro de 2017.


Prazo para entrega

Normalmente a Dirf deve ser apresentada até às 23 h 59 min 59s de 28 do mês de Fevereiro, porém por conta dos atrasos na liberação do programa IRPF responsável pela emissão da declaração, esse prazo acaba por não valer.

Sendo que segundo o Capitulo IV da instrução normativa RFD nº 1757, de 10 de Novembro de 2017, outras excepções podem ser aplicadas ao prazo de entrega da DIRF 2018.

Havendo alargamento do prazo até o último dia do mês subsequente ao período normal para fazer a declaração caso em 2018 a pessoa jurídica sofra extinção decorrente de liquidação, incorporação, fusão ou cisão total.

Sendo que o prazo acima não se aplica caso a extinção da pessoa jurídica ocorra em Janeiro de 2018. Neste tipo de situação a declaração deve ser entregue até o último dia do mês de Março de 2018.

Já no caso de quem decide deixar o país definitivamente ou dá término ao espólio em 2018, também abre se uma exceção na data limite para apresentar a DIRF.

Sendo que para a primeira hipótese, a Dirf 2018 pode ser apresentada até a data de saída ou num prazo de 30 dias, iniciando a contagem do dia em que a pessoa física declarante completar 12 meses seguidos fora do Brasil.

Agora, para quem fizer encerramento do espólio, a declaração deve ser apresentada no mês subsequente ao normal de declaração ou no final de Março, conforme explicado num dos parágrafos deste tópico.

Prazo de Entrega da Dirf 2018
Prazo de Entrega da Dirf 2018

Programa Gerador da DIRF 2018

A entrega da Dirf é realizada via online, e pra isso é preciso ter o programa Gerador da Dirf 2018, o qual pode ser baixado no site da Receita Federal facilmente.

Dentro do programa é possível realizar o cadastro de informações referentes a várias filias numa única declaração, sendo que na declaração eletrônica o candidato deve informar todos os tributos, inclusive os não tributáveis.

Download Programa Dirf 2018
Download Programa Dirf 2018

Retificação da DIRF 2018

Durante a declaração é importante evitar erros a todo custo, pois se no momento do cruzamento dos dados da declaração da pessoa jurídica com os da declaração de cada um dos funcionários serem encontrados erros, multas poderão ser aplicadas a quem cometeu a falha.

Por isso, pra quem se aperceber de algum erro cometido no preenchimento da declaração, vale muito a pena solicitar a Retificação da DIRF 2018 antes que a Receita Federal faça o cruzamento das informações.

Veja como fazer a Retificação da DIRF 2018 passo a passo, já a seguir:

Para quem possui certificado digital ou código de acesso:

  • Entre no portal e-CAC;
  • Entre com o seu certificado ou código de acesso;
  • Finalize fazendo as retificações necessárias.
Retificação Dirf 2018
Retificação

Retificar por programas da Receita Federal no computador:

  • Vá no programa ou plataforma que você usou no envio da declaração e Informe o número do recibo da DIRF original;
  • Prossiga Localizando a declaração e o recibo gerado no envio e guarde numa pasta;
  • Agora baixe os programas necessários para a retificação e reenvio da DIRF por AQUI;
  • Instale os programas baixados;
  • Com os programas instalados, entre no programa da declaração e em “Ferramentas” escolha “Cópia de Segurança” e seleccione “Restaurar”;
  • Agora você terá que indicar a pasta que contém a declaração para carregar o arquivo;
  • Finalize fazendo as alterações desejadas e grave a declaração para posterior transmissão. Sendo que pra quem usa o programa do IR 2017 não precisa instalar o Receitanet, pois o IR 2017 grava e envia a DIRF pela opção “Entregar Declaração”.

É importante lembrar que em caso de se tratar de uma declaração antiga, o programa Receitanet deve ser instalado para o envio da mesma após a retificação.

Como fazer a retificação do Imposto de Renda 2018. Confira Aqui!


Penalidades por falta de entrega da Dirf 2018

Infelizmente para o declarante que for a fazer a entrega da DIRF fora do prazo estabelecido para o efeito e ainda com erros ou emissões, penalidades são verificadas.

Sendo que em caso de incumprimento do prazo, uma multa de 2% é aplicada ao mês calendário ou fracção que recai sobre o valor dos tributos e contribuições que foram declaradas, com limite em 20%.

Onde a multa é de no mínimo R$ 200,00 para pessoa física, pessoa jurídica inactiva e pessoa jurídica aderente ao Simples Nacional.

Havendo aplicação de uma multa de R$ 500,00 nos casos restantes, onde a multa é de 50% quando a DIRF é entregue depois do prazo, porém antes do procedimento de ofício e 25% quando a declaração é apresentada no prazo fixado em intimação.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

Tabela Imposto de Renda 2019

Tabela Imposto de Renda 2019 – O Imposto de Renda é um dos assuntos mais abordados quando se inicia cada ano, uma vez que é um compromisso que deve ser cumprido pelos contribuintes. Para este ano de 2019, a declaração do IR deve ser entregue até o dia 30 de abril.

Se você tem dúvidas sobre o Imposto de Renda saiba que não é o único, pois existem muitos contribuintes que sempre ficam “perdidos” na hora de realizarem todos os procedimentos necessários.

Entretanto, o famoso Leão não é um “bicho de sete cabeças” como muitos imaginam, é importante que você tenha atenção e informe todos os dados corretamente para ter sucesso na sua declaração e receber o mais rápido possível a sua restituição nos lotes de pagamento. Mas, antes disso, preciso comentar sobre a obrigatoriedade da declaração. Me acompanhe!

Tabela Imposto de Renda 2019
Tabela Imposto de Renda 2019

Quem deve declarar o IR

Antes de falar contigo sobre as alíquotas e outros detalhes referentes ao Imposto de Renda, é importante comentar sobre quem deve fazer a declaração do IR tendo em vista que é só uma parcela que obrigatoriamente deve realizar este procedimento, algo em torno de 40 milhões de brasileiros somente em 2019. Veja abaixo quem deve declarar o IR:

  • Contribuintes que receberam ao longo de 2018 os rendimentos tributáveis que somam o valor anual acima de R$ 28.559,70
  • Contribuintes que obtiveram rendimentos considerados não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte com a soma acima de R$ 40.000,00
  • Contribuintes que obtiveram algum tipo de ganho de capital provindo da alienação de bens que seja sujeito a incidência de imposto
  • Contribuintes que realizaram algum tipo de investimento na bolsa de valores independente do valor, assim como no mercado de capitais
  • Contribuintes que optaram pela isenção do IR na realização da venda de imóveis com o objetivo de comprar outro imóvel dentro do território nacional no prazo de 180 dias a partir da assinatura do contrato de venda
  • Trabalhadores rurais que alcançaram uma receita bruta no ano de 2018 acima de R$ 142.798,50
  • Contribuintes que possuem propriedade, mesmo que terra nua, no valor acima de R$ 300.000,00
  • Estrangeiros que passaram a residir no Brasil em qualquer momento durante o ano de 2018.


Tabela Imposto de Renda – Alíquotas

A tabela Imposto de Renda Pessoa Física ou tabela IRPF é determinada pelo Governo Federal por meio de porcentuais que podem ser variáveis e que servem para a base de cálculo do valor que o contribuinte deverá pagar a Receita Federal.

Como se pode observar na imagem abaixo, cada faixa salarial possui a sua respectiva alíquota (%) e a parcela a ser deduzida. Note que quem recebe a remuneração inferior a R$ 1.903, 98 fica isento de declarar o imposto de renda 2019.

Dessa forma, você poderá acompanhar melhor o funcionamento do IR. Além disso, você pode utilizar o próprio simulador disponibilizado no site da Receita Federal para verificar a alíquota da sua declaração. Para conhecer como funciona esta ferramenta é só:


Tabela IRRF – Imposto Retido na Fonte

A tabela do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) é utilizada para a realização do desconto da tributação diretamente no salário dos trabalhadores que possuem seus vínculos empregatícios com carteira assinada.

Vale lembrar que essa retenção da tributação é obrigatória e sendo assim cabe ao empregador realizar o seu procedimento a cada início de mês subsequente a realização do pagamento, mais especificamente nos primeiros 10 dias.

Base de cálculo (R$) Alíquota (%) Parcela a deduzir do IRPF (R$)
Até 1.903,98
De 1.903,99 até 2.826,65 7,5 142,80
De 2.826,66 até 3.751,05 15 354,80
De 3.751,06 até 4.664,68 22,5 636,13
Acima de 4.664,68 27,5 869,36

O IRRF não se restringe somente aos trabalhadores com carteira assinada, mas se estende a outras categorias, a saber:

  • Ganhos obtidos de negócios efetivados entre pessoas jurídicas
  • Rendimentos de trabalho pagos pela pessoa jurídica aos não assalariados
  • Royalties e alugueis que são pagos por pessoa jurídica.

E atenção: o trabalhador deve ficar atento se a retenção do imposto é realizada pelo seu empregador, caso deixe de ser realizada em algum momento, caberá ao profissional fazer o devido pagamento senão poderá ter problemas futuros com o Fisco.


Para quem é útil a tabela

A tabela do Imposto de Renda é útil para todos os contribuintes que podem consulta-la e compreender o seu funcionamento. Do mesmo modo, pode ser bastante útil para a parcela de cidadãos isentos da taxação.

E aí esclareci suas dúvidas? Opine nos comentários abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

Imposto de Renda 2019: Quem Deve Declarar

Descubra quem deve declarar o imposto de renda 2019 – Todo início de ano, os milhares de contribuintes brasileiros devem realizar uma importante e obrigatória tarefa: fazer a declaração do Imposto de Renda. Neste ano, o prazo final para a entrega da documentação é 30 de abril, e se você deve declarar Imposto de Renda 2019 não deve deixar para a última hora.

Milhares de contribuintes já declararam as suas contas ao Leão, o que é bastante positivo em dois aspectos: primeiro que você já fica livre desse compromisso e, segundo, porque poderá receber a restituição mais rápido, ou seja, quanto mais se demora a declarar mais tarde receberá parte da sua contribuição (últimos lotes).

Mas se você ainda não declarou e está em busca de novas informações, saiba que chegou ao artigo certo, pois o escrevi especialmente para os casos semelhantes ao seu. Veja a seguir todos os detalhes sobre o Imposto de Renda 2019.

Declarar Imposto de Renda
Declarar Imposto de Renda

Quem deve declarar Imposto de Renda 2019

A declaração do Imposto de Renda é obrigatória para quem se enquadra nas condições estipuladas pela Receita Federal. De acordo com o órgão, é esperado que aproximadamente 40 milhões de contribuintes entreguem a declaração do IR, ou seja, uma significativa parcela da população. Veja a seguir quem deve fazer a declaração:

  • Contribuintes que receberam, ao longo do ano de 2017, rendimentos mensais com valores superiores a quantia de R$ 1.903,98 ou rendimentos totais tributáveis superiores a R$ 28.559,70, sejam eles trabalhadores, aposentados ou pensionistas
  • Contribuintes que tiveram rendimentos da ordem acima de R$ 40.000,00. Estes rendimentos são aqueles que não geram lucro e nem valor líquido (rendimentos não-tributáveis)
  • Contribuintes que fizeram investimentos de qualquer valor no mercado de capitais ou mesmo na bolsa de valores
  • Trabalhadores rurais que tiveram como rendimento em 2017 o valor superior a R$ 128.308,50
  • Trabalhadores que escolheram a isenção do Imposto de Renda sobre o valor da venda de imóveis com a condição de utilizar o valor recebido para a aquisição de outro imóvel em qualquer parte do território nacional dentro do prazo de 180 dias.
  • Contribuintes que são proprietários de imóvel ou terreno com valor acima de R$ 300 mil.


Quem não deve declarar Imposto de Renda

Nem todos os cidadãos brasileiros precisam fazer a declaração do Imposto de Renda. São isentos de tal compromisso aqueles que se enquadram em alguma das situações listadas abaixo:

  1. Trabalhadores que recebem como renda mensal o valor de seus vencimentos abaixo de R$ 1.903,98
  2. Trabalhadores que tenham sido diagnosticados com alguma das seguintes doenças:
  • Alienação Mental;
  • AIDS;
  • Contaminação por radiação;
  • Cegueira;
  • Cardiopatia grave;
  • Tuberculose ativa;
  • Doença de Parkinson;
  • Doença de Paget em avançado estado (Osteíte Deformante);
  • Esclerose Múltipla;
  • Fibrose Cística (Mucoviscidose);
  • Hanseníase;
  • Hepatopatia Grave;
  • Nefropatia Grave;
  • Neoplasia Maligna;
  • Paralisia Irreversível e Incapacitante;
  • Espondiloartrose Anquilosante.

Alíquotas do Imposto de Renda

O governo já divulgou a tabela do imposto de renda 2019, com as alíquotas de contribuição e os valores de dedução. Confia abaixo as alíquotas do IRRF 2019:

Base de cálculo (R$) Alíquota (%) Parcela a deduzir do IRPF (R$)
Até 1.903,98
De 1.903,99 até 2.826,65 7,5 142,80
De 2.826,66 até 3.751,05 15 354,80
De 3.751,06 até 4.664,68 22,5 636,13
Acima de 4.664,68 27,5 869,36

Como declarar Imposto de Renda

Para fazer a sua declaração do Imposto de Renda é necessário:

  • Separar toda a documentação comprobatória necessária como, por exemplo, os rendimentos referentes a empresa que você trabalha, assim como as outras fontes de renda que possa ter.

Após separar todos os comprovantes é hora de começar a fazer a sua declaração do IR propriamente dita.

Sendo assim, você deverá:

  • Acessar o site da Receita Federal através deste link (http://idg.receita.fazenda.gov.br/interface/cidadao/irpf/2018) e fazer o download do programa.
  • Verifique qual é o sistema operacional do seu dispositivo e faça o download gratuito. Ao finalizar este procedimento é só abrir o programa e começar a fornecer todos os dados solicitados em cada menu.
  • Informe também os seus dados de contato e da sua conta bancária para receber a restituição do IR caso tenha direito.

Ao terminar este procedimento, verifique se todas as informações prestadas estão corretas e, em seguida, é só finalizar o procedimento com o envio da sua declaração a Receita Federal.

Em suma: não se esqueça que você tem até o dia 30 de abril para enviar a sua declaração do Imposto de Renda, caso o contrário poderá pagar uma multa, que de acordo com a Receita Federal é de no mínimo R$165,74 e máxima de 20% do devido imposto.

Então não perca tempo e faça o quanto antes para evitar problemas com o Fisco. Continue acompanhando o blog, pois assim que surgir novidades irei postar todos os detalhes aqui para você.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

Imposto de Renda 2019

Milhares de contribuintes brasileiros possuem uma importante tarefa até o fim do mês de abril: fazer a declaração do Imposto de Renda 2019. Se você precisa acertar as contas com o Leão deve ficar atento, pois o prazo será encerrado no próximo dia 30 de abril de 2019.

Mas se por acaso você ainda tem dúvidas sobre o imposto e quem precisa obrigatoriamente fazer a declaração é só continuar comigo. Veja os detalhes a seguir.

Imposto de Renda
Imposto de Renda

Imposto de Renda 2019

O Imposto de Renda (IR) é um dos tributos mais importantes e que gera também muitas dúvidas. Todos os anos milhares de contribuintes precisam fazer a declaração como forma de apresentar à Receita Federal que os seus ganhos e patrimônios foram adquiridos de forma legal.

Quanto mais rápido você entrega a sua declaração, mais rápido receberá a sua restituição. Além disso, é importante não deixar a entrega para a última hora para não correr o risco de se atrasar ou acontecer algum imprevisto que possa te prejudicar.


Quem deve declarar Imposto de Renda 2019

Quem deve declarar o Imposto de RendaOs contribuintes que devem fazer a declaração do Imposto de Renda 2019 são os seguintes:

  • Cidadãos que receberam, em 2018, os seus rendimentos tributáveis na ordem igual ou superior a R$ 28.559,70 ou o equivalente a R$ 1.903,98 mensais
  • Cidadãos que tiveram os seus rendimentos não-tributáveis (que não geram lucro e valor líquido) superiores a R$ 40.000,00
  • Trabalhadores rurais que obtiveram, em 2017, o rendimento bruto anual superior a R$128.308,50
  • Cidadãos que possuem terrenos ou imóveis com valor igual ou superior a R$ 300 mil
  • Cidadãos que fizeram investimentos independente do valor no mercado de capitais ou mesmo na bolsa de valores
  • Cidadãos que optaram pela isenção do imposto sobre o valor da venda de imóveis como forma de se adquirir outra propriedade em um período de 180 dias.
  • Cidadãos que tiveram em qualquer período ganho de capital na alienação de bens ou direitos, propenso à incidência do imposto.

Declaração Imposto de Renda 2019

Cabe a Receita Federal administrar e fiscalizar o Imposto de Renda. Os contribuintes que se encaixam em um dos critérios anteriores precisam realizar o seguinte procedimento:

  • Acesse o site da Receita neste link (http://idg.receita.fazenda.gov.br/interface/cidadao/irpf/2019)
  • Em IRPF 2019, clique em “Download do Programa”
  • Escolha o tipo de dispositivo e o sistema operacional do seu equipamento
  • Faça o download do programa
  • Abra o programa instalado e preencha todos os dados solicitados.
  • Ao final, faça a conferência das informações prestadas
Programa IRPF 2019
Programa IRPF 2019

Caso esteja tudo correto é só enviar a declaração à Receita Federal.


Como Declarar o Imposto de Renda 2019

A Declaração do Imposto de Renda é muito fácil e simples de fazer, inicialmente você deve realizar o download do programa IRPF. Para isso, existem duas opções:

  • Baixar através das versões para Android e iOS por dispositivos móveis;
  • Baixar através da versão MAC e Linux para o computador.

Programa Imposto de Renda para Computador

Programa Imposto de Renda para Celular

Além do computador, ainda é possível realizar a declaração pelo seu dispositivo móvel, veja abaixo no passo a passo como realizar o download:

  • Entre na loja de aplicativos do seu celular ou tablet;
  • Procure por “IRPF”;
  • Faça o download do aplicativo desenvolvido pela Receita Federal;
  • Depois de instalar basta preencher o que for solicitado.








Tabela Imposto de Renda 2019

A tabela do Imposto de Renda é divulgada pela Receita Federal para auxiliar os contribuintes a conhecerem o valor e alíquota das parcelas a serem deduzidas. A imagem abaixo é a tabela utilizada para o cálculo anual tendo como período de exercício o ano de 2017. Confira abaixo todos os detalhes e observe em qual parte você se enquadra:

Além desta tabela você pode consultar outros referentes a diferentes períodos. É só acessar este link (http://idg.receita.fazenda.gov.br/acesso-rapido/tributos/irpf-imposto-de-renda-pessoa-fisica#c-lculo-anual-do-irpf).

Base de cálculo (R$) Alíquota (%) Parcela a deduzir do IRPF (R$)
Até 1.903,98
De 1.903,99 até 2.826,65 7,5 142,80
De 2.826,66 até 3.751,05 15 354,80
De 3.751,06 até 4.664,68 22,5 636,13
Acima de 4.664,68 27,5 869,36

Cronograma Imposto de Renda 2019

Cronograma IRPF 2018Todos os contribuintes devem entregar a sua declaração do Imposto de Renda 2019 até o próximo dia 30 de abril, sob pena de pagar multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do devido imposto.

Depois, você deve se atentar ao cronograma de restituições do Imposto de Renda 2019, cujos lotes e datas previstas são as seguintes:

  • 1º lote – 15 de junho de 2019
  • 2º lote – 16 de julho de 2019
  • 3º lote – 15 de agosto de 2019
  • 4º lote – 17 de setembro de 2019
  • 5º lote – 15 de outubro de 2019
  • 6º lote – 16 de novembro de 2019
  • 7º lote – 17 de dezembro de 2019.

Consulta Imposto de Renda 2019

As restituições podem ser conhecidas diretamente no site da Receita Federal por meio deste link (https://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/Atrjo/ConsRest/Atual.app/paginas/index.asp). Nele você deverá informar o número do seu CPF, ano da consulta desejada, data de nascimento e o código apresentado em tela. Por fim, clique em “Consultar”.

Desta forma, você saberá qual é o valor a que terá direito de receber e em que lote poderá sacar o valor, o qual é creditado automaticamente. E, para reforçar, quanto mais rápido for feito a sua declaração, mais rápido receberá a restituição dos valores.


Restituição Imposto de Renda

A Restituição do Imposto de Renda é o direito que cada contribuinte possui de receber da Receita Federal o valor da sua declaração excedente.

Depois de realizar a declaração, a Receita Federal realizar os cálculos e quanto mais deduções você possuir, mais descontos você terá, sendo essas deduções dependentes, despesas médicas, etc.

É divulgado todo o ano pelo Governo uma lista, que contém o nome e a relação de cada contribuinte que tem direito de receber a restituição, além de ser divulgada, a lista pode ser acessada também no site da Receita Federal: http://idg.receita.fazenda.gov.br/. Veja a lista e saiba se você é uma das tantas pessoas que tem direito a restituição, caso for, você receberá seu dinheiro com a correção da taxa Selic.

Restituição IR
Restituição IR

 


Isenção Imposto de Renda

Isenção Imposto de renda 2018A Declaração do Imposto de Renda não precisa ser realizada por todas as pessoas, caso você se encaixe nos requisitos abaixo, estará isento do IRPF.

  • Portar algumas doenças graves enquadrado no regimento da Lei de número 7.713/88;
  • Ter um rendimento que seja proveniente de aposentadoria, pensão por morte ou reforma (militar);
  • Ter uma renda mensal de no máximo R$ 1903,98 – pouco mais do valor de dois salários mínimos;
  • Ser diagnosticado com alguma das seguintes doenças: cardiopatia grave, doença de paget em estado avançado, espondiloartrose anquilosante, tuberculose ativa, nefropatia grave, cegueira, fibrose cística, doença de Parkinson, neoplasia maligna, contaminação por radiação, alienação mental, AIDS, esclerose múltipla.

Malha Fina do Imposto de Renda

Caso haja informações que não sejam compatíveis aos dados disponíveis pela Receita Federal ou haja informações preenchidas erradas, a sua declaração pode cair na Malha Fina do Imposto de Renda.

A Malha Fina é utilizada para pesquisar as possíveis incorreções no preenchimento da declaração, ou ainda quando há tentativas de sonegação do Imposto de Renda. Se forem encontradas irregularidades, corra a chance do contribuinte ter que pagar por multas. A Malha Fina é um processo muito democrático e demorado, por isso, tome cuidado na hora de preencher as informações da sua declaração.

 

 

 

 

 

 

Se o ciadão perceber que cometeu qualquer erro ao enviar sua declaração, é essencial que ele envie uma retificação do Imposto de Renda e corrija. Ao realizar a retificação, o cidadão evite problemas e dor de cabeça.

Para saber se sua declaração do Imposto de Renda caiu na Malha Fina, você tem duas opções, confira:

  • Realizar uma consulta a  Restituição de seu imposto de renda. Se a restituição aparecer no sistema, quer dizer que por sorte você não caiu na malha fina, porém se você for avisado que existem pendências em sua declaração, procure alguém que possa lhe ajudar, por exemplo um contador, que ira lhe informar como regularizar tal situação;
  • Ou realizar uma ligação para a central de atendimento da Receita Federal, pelo o número 146.

Multa por Atraso na Entrega do Imposto de Renda

É essencial que a sua declaração do Imposto de Renda seja entregue dentro do prazo estabelecido pelo Cronograma do IRPF, o qual sempre é divulgado pela Receita Federal. Se você não cumprir o prazo, poderá receber multa de até 20% do valor, sendo o valor da multa mínima por atraso de R$ 165,74.

Quando houver o atraso, será disponibilizado para o contribuinte o prazo de 30 dias para efetuar o pagamento da multa pelo atraso na declaração. Caso o pagamento não seja realizado dentro do prazo, haverá cobrança de juros, com base na taxa Selic. Dessa forma, será necessário emitir o Darf atualizado, através do seguinte site: http://www.receita.fazenda.gov.br/PessoaFisicaeJuridica/SitFisCodigoAcesso/Default.htm, o qual é disponibilizado pela Receita Federal.


Para que Serve o Imposto de Renda

A contribuição do Imposto de Renda serve para que o Governo Federal realize investimentos em áreas necessárias para o país, como:

  • Infraestrutura;
  • Segurança;
  • Saúde;
  • Educação;
  • Entre outras coisas.

A declaração do Imposto de Renda pode ser feita pelo computador e pelo dispositivo móvel, sendo fácil de ser realizada. Assim, o cidadão pode realizar a mesma do local que quiser, como da sua casa e seu trabalho. Não sendo necessário ir até um posto de atendimento da Receita Federal, nem enfrentar filas. Tudo isso para facilitar a vida do cidadão.

Você ainda tem mais alguma dúvida? Mande-a para nós pelos comentários abaixo. Até mais!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...