Imposto de Renda 2018

Anualmente, os brasileiros têm que acerta conta com o leão, ou melhor, a Receita Federal. O IRPF é um valor anual descontado dos proventos dos trabalhadores e repassados ao Governo Federal. O valor descontado do rendimento é estipulado, também anualmente, pelos órgãos competentes. No Brasil, o imposto de renda 2018 é administrado pela Receita Federal. Caso o trabalhador não entregue o IRPF, pode ser privado de determinas atividades. Portanto, é benéfico que fique por dentro de todas informações sobre o imposto de renda 2018.

Imposto de Renda 2018
Imposto de Renda 2018 – IRPF 2018

Declaração Imposto de Renda 2018

Quem administra a fiscalização sobre as possíveis irregularidades e administra todos os processos do Imposto de Renda é o órgão da Receita Federal.

A  declaração do Imposto de Renda é um documento importante que deve ser enviado à Receita Federal, sendo realizada durante o mês de março e abril de cada ano.  Homens e mulheres devem realizar a declaração de seus gastos, rendimentos e ganhos que obtiveram durante o ano base, como forma de comprovação que os documentos surgiram legalmente.

Não podemos esquecer que a Declaração do IRPF 2018 é feita sobre os valores referentes ao ano base anterior.

Quem deve declarar Imposto de Renda 2018

Deve declarar o imposto de renda 2018 as seguintes pessoas que se enquadram nessas diretrizes:

  • Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados diretamente na fonte, acima de R$40 mil, como 13º salário, prêmios de loterias, ganhos com aplicações financeiras e juros de poupança.
  • Recebeu rendimentos tributáveis na declaração, com soma estipulada em mais de R$24.556,65.
  • Teve, em qualquer período, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, propenso à incidência do imposto, ou fez operações em bolsas de valores, de mercadorias, ou atividades semelhantes.

Restituição Imposto de renda 2018

A Restituição do Imposto de Renda é conhecida como o direito que cada contribuinte possui de receber da Receita Federal o valor da declaração excedente.

Após realizar a sua declaração do Imposto de Renda 2018, é realizada pela a Receita Federal os cálculos e quanto mais deduções você possuir, sendo elas, despesas médicas, dependentes, etc, mais descontos você terá.

O Governo divulga todo final de ano uma lista, que possui o nome e relação dos contribuintes que devem receber a restituição, além de ser divulgada, a lista é disponibilizada no site da Receita Federal (http://idg.receita.fazenda.gov.br/ ). Confira a lista e saiba se você é uma das milhares pessoas a receberem a restituição, se for, com a correção da taxa Selic você receberá seu dinheiro.

Imposto de Renda Pessoa Física e Pessoa Jurídica

Não podemos esquecer que a Receita Federal tributa além de pessoas físicas, as pessoas jurídicas, mas o modo de tributação entre essas, ocorre de maneira diferente.

  • Cobrança do Imposto de Renda 2018 para pessoa física:

Através do Imposto de Renda retido na Fonte (IRRF 2018) e também através da declaração de ajuste anual do Imposto de Renda (DIRP 2018), o seu imposto será cobrado.

Na primeira situação, será descontado diretamente da folha de pagamento do trabalhador o seu Imposto de Renda, já na segunda situação, será cobrado anualmente sobre outros valores do Imposto de Renda que o trabalhador venha a receber durante todo o ano.

  • Cobrança do Imposto de Renda 2018 para pessoa jurídica:

As pessoas jurídicas são consideradas:

  • As empresas;
  • Órgãos do governo;
  • Sociedades;
  • Partidos políticos;
  • Igrejas.

Desses, é cobrado o Imposto de Renda de maneira diferente, sendo através do IRPJ 2018.

Sobre as empresas é cobrado apenas o Imposto de Renda sobre os seus rendimentos mensais.

Não podemos esquecer que os rendimentos da empresa, e dos donos das empresas, não são os mesmos. Dessa forma, os rendimentos da empresa não devem influenciar na pessoa física, no caso, o proprietário ou sócio da empresa. Os rendimentos relativos à participação dos lucros de pessoa jurídica não são tributáveis pelo Imposto de Renda 2018 Pessoa Física, pois já foram tributados anteriormente pelo Imposto de Renda Pessoa Jurídica 2018.

Quem precisa declarar o Imposto de Renda 2018

Mesmo sendo um imposto que atinge grande parte da sociedade, nem todo mundo é obrigado a realizar a declaração para a Receita Federal. Quem precisa declarar são os contribuintes que recebem uma quantia específica de bens de direito, ou que tenham determinada renda.

A seguir mostraremos os requisitos que uma pessoa deve cumprir para assim, realizar a declaração do Imposto de Renda 2018. Os requisitos que iremos mostrar valem para o ano base de 2017, e só é necessário se enquadrar em um dos requisitos para ser obrigado a declarar o Imposto de Renda. Confira:

  • Pessoa físicas que,  receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.123,91 durante o ano base;
  • Pessoa físicas que,  receberam rendimentos não-tributáveis acima de R$ 40.000,00 durante o ano base;
  • Pessoas físicas que possuam bens de direito (inclusive terra) com valor a cima de R$ 300.000;
  • Trabalhadores rurais que, tenham arrecadado um valor superior a 140.619,55 provenientes da atividade rural, durante o ano base;
  • Pessoas que tenham posse ou que movimentaram determinada quantia de bens móveis em bolsa de valores ou mercado de bens mobiliários.

Isenção do Imposto de Renda 2018

Isenção Imposto de renda 2018Nem todos os brasileiros precisam fazer a declaração do imposto de renda 2018. Isto é normal. A Receita Federal anualmente dispensa as pessoas que se encaixam em um determinado representações. Para que seja totalmente isento do IRPF 2018 é necessário:

  • Ter uma renda mensal de, no máximo, R$1903,98 – pouco mais do valor de dois salários mínimos;
  • Ter um rendimento que seja proveniente de aposentadoria, pensão por morte ou reforma (militares);
  • Portar algumas doenças graves enquadrado no regimento da Lei de nº7.713/88.
  • Ou ser diagnosticado com algumas dessas seguintes doenças: esclerose múltipla, AIDS, alienação mental, contaminação por radiação, neoplasia maligna, doença de Parkinson, fibrose cística (mucoviscidose), cegueira, nefropatia grave, tuberculose ativa, espondiloartrose anquilosante, doença de Paget em estado avançado e cardiopatia grave.

Alíquotas Imposto de Renda 2018

Alíquotas Imposto de Renda 2018A receita Federal também divulgou a tabela de alíquotas do Imposto de Renda 2018, para o calendário Base 2017.

  • Para esse ano, estarão isentos de pagar imposto todos os contribuintes cuja renda anual tenha sido de até R$ 22.847,76 estarão isentos do pagamento do Imposto de renda;
  • Os contribuintes cuja soma de todas as rendas tributáveis tenha ficado no intervalo entre R$ 22.847,77 a R$33.919,80, pagarão o imposto com a alíquota de 7,5%;
  • Já para quem a renda anual tenha sido entre R$ 33.919,81 a R$ 45.012,60. Pagará imposto de 15% sobre os rendimentos;
  • Os contribuintes que tiveram a renda anual no intervalo de 45.012,61 até 55.976,16, pagarão 22,5% de imposto sobre os rendimentos;
  • E por fim, qualquer contribuinte cuja renda tenha ultrapassado R$ 55.976,16 pagará 27,5% de imposto sobre a renda.

As alíquotas também podem ser conferidas na tabela abaixo:

Base de cálculo (R$) Alíquota (%) Parcela a deduzir do IRPF (R$)
Até 22.847,76
De 22.847,77 até 33.919,80 7,5 1.713,58
De 33.919,81 até 45.012,60 15 4.257,57
De 45.012,61 até 55.976,16 22,5 7.633,51
Acima de 55.976,16 27,5 10.432,32

A Receita Federal também divulgou a tabela do imposto de renda 2018 e alíquotas mensais a serem pagas, para facilitar o acompanhamento dos dados mês a mês.

Base de cálculo (R$) Alíquota (%) Parcela a deduzir do IRPF (R$)
Até 1.903,98
De 1.903,99 até 2.826,65 7,5 142,80
De 2.826,66 até 3.751,05 15 354,80
De 3.751,06 até 4.664,68 22,5 636,13
Acima de 4.664,68 27,5 869,36

Confira aqui as alíquotas de contribuição do IRPJ 2018, e confira como fazer a declaração do imposto de renda de Pessoa jurídica.

Como declarar o Imposto de Renda 2018

O processo para realizar a declaração do Imposto de Renda 2018 é muito simples, primeiro você deve realizar o download do programa IRPF 2018.

Existem duas maneiras para realizar a sua declaração, são elas:

  • Através da versão MAC e Linux para computador;
  • Através das versões para Android e IOS pelo os dispositivos móveis.

Beja também: confira como usar o portal do SINTEGRA para pagamento de outros tributos, como o ICMSestadual.

Programa Imposto de Renda 2018 para computador

O programa IRPF 2018 está disponível pelo site da Receita Federal para realizar o download, acesse: (http://idg.receita.fazenda.gov.br/interface/cidadao/irpf/2017/download). Após realizar o download deve-se utilizar utilizar toda a documentação necessária e realizar a declaração pelo programa baixado.

Download Programa do IRPF 2018
Download Programa do IRPF 2018

É importante ressaltar que a declaração do IRPF 2018 deve ser realizada até o dia 29 de abril de 2018. Então, marque na sua agenda, calendário, ou em algum lugar para que não se esqueça!

Programa Imposto de Renda 2018 para celular

Para realizar a declaração do Imposto de Renda 2018 através de dispositivos móveis basta baixar o aplicativo da Receita Federal, aprenda o passo a passo abaixo:

  • Abra a loja de aplicativos do seu dispositivo móvel;
  • Busque pelo programa “IRPF”;
  • Realize o download do aplicativo desenvolvido pela “Receita Federal do Brasil”;
  • Após a instalação preencha os dados solicitados.
IR 2018 Celular
IR 2018 Celular

Como fazer a declaração do Imposto de Renda 2018

Para realizar a declaração do Imposto de Renda você deve após a instalação do programa em seu computador, acessar o aplicativo e clicar em “Nova Declaração”.

Caso você já tenha realizado a sua declaração anteriormente, terá um jeito de facilita-la muito, basta você clicar em “importar dados IRPF 2018”, e apenas atualizar os valores inseridos anteriormente.

Caso você deseje realizar uma nova declaração, clique em “declaração de ajuste anual” e preencha os dados que lhe forem solicitados na nova aba que abrir.

Se você tiver duvidas durante o processo de declaração do imposto de renda 2018 você deverá usar como seu guia a barra à esquerda do aplicativo, local que apresenta diversos comandos e opções de preenchimento.

Será preciso que você preencha na declaração do IR 2018 todos os seus bens de direito, rendimentos, e valores que você possua em contas bancárias, fundos de investimento, ou valores e rendimentos dos seus dependentes. É de extrema importância que você fale apenas a verdade, para que não acarrete futuras complicações. As opções que podem ser encontradas na barra lateral para preenchimento do imposto de renda, são:

  • Alimentandos;
  • Bens e direitos;
  • Dependentes;
  • Dívidas e ônus reais;
  • Doações efetuadas;
  • Espólio;
  • Importações;
  • Imposto pago/retido;
  • Pagamentos efetuados;
  • Renda;
  • Rendimentos;
  • Entre outras informações necessárias.

Antes de finalizar a declaração você deve acessar o resumo de dados da declaração e conferir se não há nenhuma informação que não foi inserida, ou se nenhum dado foi digitado errado.

Além de apresentar todos os rendimentos e bens do contribuinte, o resumo do IRPF 2018 irá indicar a quantidade de impostos a serem pagos para a Receita Federal, e o valor da Restituição do Imposto de renda, se esse for o caso.

Caso você já tenha corrigido todos os erros apresentados pelo programa de ajuste anual, chegou a hora de entregar a declaração. Basta clicar em “Entregar declaração” na parte inferior da barra lateral à esquerda, e imprimir o recibo da declaração.

Consulta restituição IRPF 2018

Através do portal da Receita Federal é possível consultar a data em que o pagamento será efetuado em sua conta bancária, caso você tenha direito à restituição.

Consulta Restituição
Consulta Restituição

Para realizar a consulta da Restituição do Imposto de Renda 2018, basta seguir os passos abaixo:

Se a sua restituição ainda não foi divulgada, você pode conferir o calendário Restituição do Imposto de Renda 2018 completo através do portal da Receita Federal por meio de tal link (http://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/Atrjo/ConsRest/Atual.app/paginas/index.asp).

Malha fina do Imposto de Renda 2018

Se houver informações preenchidas erradas, ou informações que não sejam compatíveis aos dados disponíveis pela Receita Federal, a sua declaração poderá cair na Malha Fina do Imposto de Renda 2018.

Esse procedimento serve para apurar possíveis incorreções no preenchimento da declaração, ou tentativas de sonegar o imposto de renda, que pode eventualmente ocorrer. Caso sejam apuradas irregularidades o contribuinte pode acabar tendo que pagar por multas. A malha fina é um procedimento demorado e muito burocrático, então tome cuidado ao preencher as informações.

Malha Fina IR 2018
Malha Fina IR 2018

Caso o cidadão perceba algum erro que cometeu ao enviar sua declaração do imposto de renda com alguma falha, é fundamental que envie uma retificação do imposto de Renda 2018, e o corrija, esse procedimento pode evitar diversos problemas e muita dor de cabeça.

O contribuinte tem duas opções para saber se sua declaração caiu na malha fina 2018, confira abaixo:

  • Realizar um ligação para o número 146, telefone da central de atendimento da Receita Federal;
  • Realize uma consulta a Restituição de seu imposto de renda. Se a restituição aparecer no sistema, quer dizer que por sorte você não caiu na malha fina, porém se você for avisado que existem pendências em sua declaração, procure alguém que possa lhe ajudar, por exemplo um contador, que ira lhe informar como regularizar tal situação.

Multa por Atraso na Entrega do Imposto de Renda 2018

É fundamental que a declaração do imposto de Renda 2018 seja entregue dentro dos prazos estabelecidos pelo Cronograma do IRPF 2018 divulgados pela Receita Federal. O não cumprimento dos prazos pode acarretar multa de até 20% sobre o valor devido ao fisco, sendo a multa mínima pelo atraso de R$ 165,74.

Em caso de atraso, o contribuinte tem até 30 dias para efetuar o pagamento da multa pelo atraso da declaração. Se o pagamento não for realizado nesse prazo, será cobrado juros de mora, com base na taxa Selic. Nesse caso, deve-se emitir o Darf atualizado, através da Pesquisa de Situação Fiscal, disponibilizada pela receita Federal.

Cronograma do Imposto de Renda 2018

Cronograma IRPF 2018A Receita Federal já se adiantou e divulgou o cronograma do imposto de renda 2018. Portanto, é recomendado que pegue um pedaço de papel e uma caneta para anotar as datas e colar em um espaço visível, com objetivo de evitar que esqueça o cronograma.

O órgão federal comunicou que o prazo de entrega do IRPF 2018 começa no dia 2 de março e termina em 28 de abril. No entanto, o programa gerador do imposto de renda estará disponibilizado para download previamente, mais especificamente em 23 de fevereiro. Isto é totalmente benéfico para os contribuintes pois já podem ir elaborando sua documentação e não deixando para última hora da entrega. O simples fato de elaborar o imposto de renda 2018 mais cedo pode lhe prevenir de dores de cabeça.

Como consultar o Imposto de Renda?

Para consultar o imposto de renda de anos anteriores, basta:

  • Acessar o portal da Receita Federal;
  • Na guia lateral “Tributos”, clicar em “pessoas físicas”;
  • E em seguida, consultar os dados sobre o IRPF 2018.

Consulta Imposto de Renda 2018É válido salientar que todas as informações sobre a tributação, como prazos de entrega, alíquotas, cronograma, programas, e lotes de restituição do Imposto de Renda 2018, podem ser consultados diretamente no portal da Receita Federal, sem nenhum custo. O download dos programas para declaração e envio do IRPF são gratuitos, e estão disponíveis para as principais plataformas de computadores, tablets e smartphones.

Está com alguma dúvida sobre o imposto de renda 2018? Diga-nos na área de comentário para que possamos solucioná-los.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

Imprimir CPF

Imprimir CPF – Hoje em dia, não há mais aquele cartão de plástico com o número do CPF do cidadão. Agora, quando a pessoa precisa do seu CPF, ela possui apenas o número de inscrição de forma virtual ou o CPF escrito em outros documentos como identidade, carteira de habilitação, dentre outros.

A Receita Federal cancelou a emissão deste cartão, que era azul, por causa do seu alto custo e da fragilidade que o documento trazia. Para acessar o número do seu CPF e você poder fazer uma impressão dele, é possível entrando no site oficial da Receita Federal. Veja:

  • Acesse o portal da Receita Federal;
  • Procure a aba de segunda via do CPF;
  • Insira o número do seu CPF, nome da mãe, nome completo, data de nascimento e título de eleitor;
Imprimir CPF
Imprimir CPF – Como imprimir o CPF

VEJA MAIS:


Como Tirar CPF

O cidadão que quer tirar a primeira vez o seu CPF, pode acessar o site da Receita Federal e fazer sua inscrição online. Há duas opções: para quem tem entre 16 e 25 anos de idade e possui título de eleitor regular, pode fazer pela internet seguindo os passos:

  • Acessar a página da Receita Federal, clicando aqui;
  • Preencher dados pessoais como nome completo, data de nascimento, sexo, título de eleitor, nome da mãe, endereço completo e depois só clicar em enviar;
  • Ao fim, é só seguir as orientações dadas pelo órgão.

Para outros casos, o cidadão pode ir até uma unidade de órgãos conveniados com a Receita Federal e fazer a emissão do seu CPF. Para mais informações, basta acessar o link clicando aqui.


Imprimir CPF de Contribuinte que nunca fez a Declaração IRPF

O cidadão pode emitir o comprovante de inscrição do seu CPF também de forma online ou presencial, caso seja necessário. Para isso veja a seguir e siga o passo a passo:

  • Acesse o portal oficial da Receita Federal para comprovante do CPF;
  • Escolha o acesso para a emissão do comprovante no portal;
  • Você consegue emitir e consultar seus dados cadastrais para contribuintes isentos do imposto de renda;
  • Neste caso de isenção, o cidadão consegue emitir o comprovante clicando em “Acesso Direto”.
  • O cidadão precisa informar seus dados como nome completo, data de nascimento, nome da mãe, dentre outros.

Imprimir CPF de Contribuinte que já Apresentou Declaração do IRPF

Se você apresentou declaração do imposto de renda pelo o menos uma vez nos últimos dois anos, deve fazer um outro procedimento para conseguir imprimir o seu CPF, veja:

    • Neste caso o cidadão deverá acessar pelo portal e-CAC da Receita Federal;
    • Clique em “saiba como gerar o código de acesso”;
    • Escolha gerar para pessoa física;
    • Digite o seu CPF e data de nascimento;
    • Informe depois o número do recibo da sua declaração do imposto de renda;
    • Um código de acesso será gerado, guarde-o;
  • Depois acesse “Acessar o Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte (e-CAC)”;
  • Clique em “Cadastros”;
  • Depois “Comprovante de inscrição no CPF”;
  • Por fim seu CPF aparecerá para você imprimir.

Aí é só clicar em “Preparar página para impressão” e você poderá imprimir a primeira ou segunda via do seu CPF pela internet de forma rápida e fácil.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

Declarar Imposto de Renda Atrasado

Declarar Imposto de Renda Atrasado – O prazo de entrega do imposto de renda para o ano de 2018 já venceu, os beneficiários atrasados pagaram uma multa de R$ 165,74 é de no máximo 20% do imposto devido.

De acordo com a Receita Federal as declarações que não foram entregues até as 23h 59min do dia 30 de abril terão que pagar uma multa por atraso referente ao valor de R$ 165,74 que serão descontados automaticamente na sua restituição.

Declarar IRPF 2018 Atrasado
Declarar IRPF 2018 Atrasado

Recomenda-se que o contribuinte acerte o atraso com a Receita Federal o quanto antes para que o CPF do mesmo não fique sujo, o que ocasiona uma serie de problemas e transtornos no futuro, tais como:

  • Tirar emprestimos;
  • Passaportes;
  • Tirar e obter certidão negativa de débitos
  • Ou até mesmo prestar um concurso público.

A Receita Federal é um órgão responsável por administrar o Imposto de Renda 2019 tanto de pessoas jurídicas quanto física. Todos os anos os contribuintes estabelecem prazos para entregar o imposto de renda, mas deve-se considerar também o número de contribuintes que não entregam a declaração do imposto de renda dentro do prazo.

Declarar Imposto de Renda Atrasado
Declarar Imposto de Renda Atrasado

Declaração do Imposto de Renda 2018

O  Imposto de Renda é um imposto cobrado anualmente a todo o contribuinte elegível, todos os anos os contribuintes são obrigados a fazer a declaração do imposto 2018 e ficar de olho nos prazos de entrega da documentação completa.

A Receita Federal que fará conferência de toda a documentação, quem entregar a documentação atrasada consequentemente será multado.

Vale ressaltar, que não declarar o imposto de renda é sonegação de imposto, além da multa pode ser aplicado também mais 150% de juros sobre a taxa Selic.

Declaração Imposto de Renda 2019
Declaração Imposto de Renda 2019

Como Declarar Imposto de Renda Atrasado

Tente evitar esse tipo de pendência, mas se por acaso, acontecer o atraso da declração, o recomendado é se adequar junto a Receita Federal, sendo assim basta fazer a sua declaração do imposto de renda o quanto antes.

O órgão disponibiliza um programa do IR especifico para auxiliar as pessoas a realizar o passo a passo da nova declaração, o mais importante é realizar de forma correta e evitar pendências.

Multa pelo atraso na declaração do IRPF

É importante saber que se você por algum motivo não declarar o imposto de renda a Receita Federal pode encaixar o seu perfil no quadro de sonegador de impostos. Isso pode resultar além da multa uma serie de restrições ao contribuinte, os bens que não forem declarados serão vistos como injustificados, além da multa de 150% esses bens passam a ser tributáveis.

Se mesmo assim a pessoa se manter resistente a pagar o fisco, ela pode sofrer um processo administrativo e uma sonegação será aberta com punição de dois a cinco anos de prisão.

É importante que o contribuinte fique atento aos prazos para declarar o seu imposto de renda assim, você evita problemas futuros com a Receita Federal.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

Novas alíquotas do Imposto de Renda

O imposto de renda é uma contribuição de uma parcela dos contribuintes brasileiros que ganham mais que o teto-base estipulado pela Receita Federal, órgão do governo federal. A declaração do imposto de renda deve ser feita todos os anos e todas as informações são divulgadas pelo site oficial do órgão. Mesmo assim, muitas pessoas ainda ficam com dúvidas de como proceder a declaração do imposto de renda, como funciona a contribuição, quem precisa declarar e as alíquotas estipuladas pela Receita Federal.  Por isso, abaixo iremos informar para que serve o Imposto de Renda e sobre as Novas Alíquotas do Imposto de Renda.

Novas Alíquotas do Imposto de Renda 2018
Novas Alíquotas do Imposto de Renda 2018

Para que serve o Imposto de Renda

A declaração do imposto de renda é feita pelo computador, ou seja, o cidadão faz diretamente da sua casa ou seu trabalho, sem precisar ter que ir até um posto da Receita Federal e nem mesmo enfrentar filas.

A contribuição do imposto de renda 2018 acontece para que o governo invista em áreas necessárias para o país como segurança, infraestrutura, saúde, educação, dentre outros.


Novas alíquotas do Imposto de Renda

Alíquota Imposto de Renda

Para melhorar a vida dos contribuintes que recebe menos, o Senado Federal está discutindo a aprovação de uma nova tabela do imposto de renda. A nova tabela quer ser mais justa com os brasileiros e corrigir distorções, para adequar a realidade da população.

A nova tabela quer isentar os contribuintes que recebem até R$ 3,3 mil reais por mês, o que representa uma boa parcela da população brasileira que precisa fazer a declaração do imposto. Além disso as novas alíquotas do Imposto de Renda também iriam mudar de acordo com o projeto, as faixas de tributação seriam de 5%, 10%, 15%, 20%, 25%, 30%, 35% e 40%.

Essa mudança pretende isentar quem ganha menos e cobrar mais impostos de quem recebe mais, que seria a parte rica da população. Isso iria corrigir injustiças e cobrar imposto de quem realmente pode pagar e isentar as famílias que tem uma renda pequena. O projeto de lei precisa ainda passar por uma Comissão do Senado, depois ir para o plenário das duas Casas e por fim ser promulgado pelo Presidente da República.


Tabela Imposto de Renda

A cada ano que chega a data para realizar a declaração do imposto de renda, muitas pessoas ficam em dúvidas de como vai funcionar a declaração, quem precisa realiza-la e os prazos. Mesmo quem tem experiência ainda fica com dúvidas por causa das mudanças de regras que sempre acontecem praticamente todos os anos.

As novas alíquotas do imposto de renda podem variar a cada ano e também variam de acordo com o salário do contribuinte. O trabalhador que ganha até R$ 22.847,76 por ano não precisa fazer a declaração do imposto, ou seja, é isento e não precisa fazer nada.

  • Quem recebe até R$1.903,98 por mês não precisa declarar;
  • Quem recebe de R$ 1.903,99 a R$ 2.826,65 paga 7,5% de alíquota e a parcela a deduzir é de R$ 142,80;
  • Quem recebe de R$ 2.826,66 a R$ 3.751,05 tem alíquota de 15% e parcela a deduzir de R$ 354,80.
  • Para quem recebe de R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68, alíquota de 22,5% e R$ 636,13 de dedução do IRPF;
  • Acima de R$ 4.664,68 a alíquota vai para 27,5% e dedução de R$ 869,36.

A tabela do imposto de renda com esses números e outras informações é divulgada logo no início do ano antes do começo da declaração para que o cidadão tenha tempo necessário para se organizar. Acesse http://idg.receita.fazenda.gov.br/interface/cidadao/irpf/2017.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

Tabela IRRF 2018

Tabela IRRF 2018 – O imposto de renda retido na fonte é uma contribuição que uma parcela dos cidadãos tem que fazer todos os anos, além de declaração para a Receita Federal, órgão do governo federal. Todas as informações devem ser passadas para o contribuinte pela página oficial do órgão, contudo muitas pessoas ainda ficam com muitas dúvidas em relação à tabela IRRF 2018.

Com os avanços da tecnologia, hoje o cidadão não precisa ir até um posto da Receita Federal para resolver questões do seu imposto de renda. Com o site oficial do órgão o contribuinte pode resolver tudo sem sair de casa e no tempo necessário.

Tabela IRRF 2018
Tabela IRRF 2018

A declaração, pagamento e restituição do imposto de renda acontecem em datas específicas ao longo do ano e que o cidadão é informado pela própria Receita Federal e também pelos principais portais de notícias do país.


IRRF 2018

IRPF

O imposto de renda retido na fonte é um recolhimento que serve para que o Estado pague suas despesas, gastos e investimentos para a saúde, segurança, educação, infraestrutura, dentre outras áreas de sua competência.

Mesmo as pessoas que já têm experiência em declarar o imposto de renda 2018, a cada ano pode surgir novas regras e nisso surgem também muitas dúvidas dos contribuintes. Uma das principais dúvidas é sobre a tabela do imposto de renda.


Tabela IRPF 2018 – ano calendário 2017

Cronograma Imposto de renda 2018As alíquotas da Tabela IRRF 2018 mudam de acordo com o salário do trabalhador, por isso é importante estar a tento a tabela. Quem ganha até R$ 22.847,76 por ano não precisa declarar o imposto de renda, ou seja, é isento.

Base de cálculo (R$) Alíquota (%) Parcela a deduzir do IRPF (R$)
Até 1.903,98
De 1.903,99 até 2.826,65 7,5 142,80
De 2.826,66 até 3.751,05 15 354,80
De 3.751,06 até 4.664,68 22,5 636,13
Acima de 4.664,68 27,5 869,36

Alíquotas do IRRF 2018:

  • 0,00Quem recebe até R$ 1.903,98 não precisa pagar Imposto retido na fonte;
  • Para quem recebe de R$ 1.903,99 até R$ 2.826,65 mensais, paga 7,5% de alíquota e tem dedução de R$ 142,80.
  • Para quem recebe de R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05, alíquota de 15% e dedução de R$ 354,80.
  • Para quem recebe de R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68, alíquota de 22,5% e R$ 636,13 de dedução.
  • Acima de R$ 4.664,68 a alíquota vai para 27,5% e dedução de R$ 869,36.

A tabela do Imposto de Renda 2018 é divulgada pela Receita Federal no início do ano e antes das datas e prazos para declaração, para não ter erro para o contribuinte. A tabela serve para que o cidadão saiba se precisa declarar seus ganhos ou não, além das alíquotas referentes ao imposto daquele ano da declaração.


Como calcular IRPF 2018

Para facilitar a vida do contribuinte, além dele fazer a declaração pela internet, sem precisar sair de casa, a Receita Federal também disponibilizou uma calculadora para calcular o imposto de renda.

calculo imposto de renda

Na calculadora, basta o contribuinte informar todos os dados pedidos que em poucos minutos o cálculo é feito. O cidadão também pode escolher em calcular de forma manual, pegando o salário bruto, multiplicando o valor pela alíquota do INSS e menos o valor de dedução por dependente, multiplicando novamente agora pela alíquota do IR, menos a parcela a deduzir.

Para usar a calculadora da Receita Federal acesse http://www.receita.fazenda.gov.br/aplicacoes/atrjo/simulador/simulador.asp?tipoSimulador=M.


Alíquota IRPF 2018

Existe um detalhe importante no cálculo das alíquotas do IRRF 2018, que precisa ser levada em consideração: Caso o trabalhador se enquadre em determinada alíquota do imposto Retido na fonte, o valor da alíquota não incide integralmente sobre seu salário, e sim só sobre as parcelas tributáveis. Por exemplo:

Salário: R$ 4.000,00

  • R$ 1.903,98 são isentos de pagamento de imposto;
  • R$ 922,66 serão tributados na faixa de 7,5%
  • R$ 924,39 serão tributados na faixa de 15%
  • R$ 248,94 serão tributados efetivamente na faixa de 22%
  • Alíquota efetiva: 6,6%

As alíquotas variam de salário para salário e podem variar de 7,5% a 27,5%. A menor alíquota é quem recebe menos. A maior alíquota é para quem recebe mais.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votes, average: 4.75 out of 5)
Loading...

Sintegra AM

O Sintegra AM tem abrangência nacional e tem conexões com as atividades operacionais realizadas pelas empresas no âmbito de circulação de mercadorias e de serviços.

Objetiva padronizar os arquivos enviados pelas empresas e ter um controle fiscal desses relatórios.

Além disso,  através do validador, que falaremos mais abaixo,  o fisco terá uma economia de tempo no tocante a erros nas declarações, pois, uma vez que, em caso de erros,  o arquivo nem poderá ser enviado para a respectiva Secretaria da Fazenda, não será mais necessário que o fisco verifique se há algum erro,  comunique o contribuinte,  que fará as correções, enviará tudo de novo e a Secretaria deva verificar de novo.

Não, com o validador, o programa em si, verifica a existência ou não de algum erro e já comunica de imediato o contribuinte, que poderá fazer as correções de maneira mais rápida e enviar em um prazo bacana a declaração para o fisco, economizando, dessa maneira, o tempo de todos os envolvidos.

Sintegra AM
Sintegra AM

O que é o Sintegra AM

O Sintegra é um sistema de informações existente em todas as unidades da federação que consiste em ter um controle sobre as operações de circulação de mercadorias e oferta de serviços realizadas pelas empresas, tanto operações dentro dos Estados quanto fora dos Estados.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O SINTEGRA AM

Tem como objetivo, prevenir algum problema no tocante à arrecadação dos tributos sobre mercadorias e serviços, afinal, as alíquotas desses impostos tem uma grande variação, conforme o Estado ou o município, dependendo se é uma operação referente à circulação de mercadorias ou prestação de serviços, respectivamente.

Por outro lado, o Sintegra busca, através do validador, padronizar os arquivos enviados pelas empresas, de modo que sigam um padrão. Ora, por serem documentos que estarão em posse de órgãos públicos e são declarações de cunho público, devem obedecer a um modelo único.

Saiba ainda sobre:


Como Funciona o Sintegra AM

O Sintegra dos estados funciona basicamente da mesma maneira, a diferença básica é referente a se a validação do arquivo e o envio do mesmo dão-se através de um ou de dois programas e a periodicidade com que o envio deverá ser feito.

Não obstante, o procedimento é o mesmo:  antes de enviar para o fisco estadual o arquivo contendo as comercializações ou serviços realizados dentro do período que a lei exige que o arquivo seja enviado, normalmente mensalmente, abrangendo tanto operações interestaduais quanto dentro do Estado, o contribuinte deverá realizar a validação, através do arquivo disponibilizado pela Secretaria da Fazenda.

Em caso de erros por conta de dados incorretos ou não padronização do arquivo conforme a legislação disponha, o contribuinte deverá efetuar as correções e reenviar o arquivo, novamente através do validador.

Depois que esse arquivo esteja válido, ele poderá, enfim, enviar o arquivo para o fisco através da Transmissão Eletrônica.


Consulta Sintegra AM

Para quem deseja consultar o Sintegra AM, basta fazer exatamente o passo a passo abaixo:


Endereço e Telefone Sintegra AM

Avenida André Araújo, número 50, bairro Aleixo, Manaus.

Telefone:  2121-1600.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

Sintegra MS

O Sintegra MS controla as operações realizadas pelos consumidores de mercadorias e serviços, tanto quando feitos dentro de cada unidade da federação e entre os diferentes estados também, de modo a evitar problemas de prejuízos aos cofres públicos devido a sonegações dos tributos.

Há a necessidade também, através do Sintegra, de padronizar-se os arquivos, obedecendo à legislação, entretanto, não são coisas muito difíceis a serem feitas, os sites dos governos têm, na maioria das vezes, informações detalhadas, e, aqui constará algumas informações mais objetivas a respeito do assunto.

Em caso de dúvida, porém, sempre é bom entrar em contato com o fisco estadual.

Para solucionar essas questões, explicarei nesse texto tudo o que você precisa saber sobre o Sintegra 2019 MS.

Sintegra MS
Sintegra MS

O que é o Sintegra MS

O Sintegra é um sistema do governo para onde são enviadas todos os detalhes a respeito das atividades executadas pela empresa a respeito das operações de compra e venda ou prestação de serviços, controla, logo, a parte fiscal de todas essas operações, sejam interestaduais ou estaduais, essa parte fiscal será diferente de acordo com o Estado ou Distrito Federal.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O SINTEGRA MS

O Sintegra MS verificará divergências existentes entre os arquivos que os contribuintes enviam para a Secretaria da Fazenda Estadual e o que a legislação dispõe como padrão para esses arquivos, etc.

O que difere é que, a consulta ao cadastro no Sintegra, serão realizadas diferentemente de acordo com o setor econômico que a empresa se enquadra.

A verificação de erros no formato da declaração ou mesmo nas informações será realizada através do aplicativo “Validador Sintegra”.

O Sintegra melhorará o controle tributário e padronizará os arquivos que são enviados pelas empresas, havendo, portanto, maior ordem e facilidade na análise desses arquivos, economizando tempo e dinheiro.  Além disso, como ocorre em determinados locais, o validador e a transmissão ocorre por dois programas distintos.

Conheça também:


Como Funciona o Sintegra MS

Dentro de um período estipulado pela legislação do estado, as empresas devem enviar para o fisco as informações, contendo o detalhe das operações realizadas pela empresa.

Essas informações são enviadas eletronicamente. No estado do Mato Grosso do Sul, há dois programas separados:

  • um é o validador, que é aquele programa que servirá para verificar se a formatação do arquivo, por exemplo, está dentro do que a legislação exige. Isso permitirá que o contribuinte envie o arquivo para o fisco,  caso haja algum erro, o contribuinte precisará efetuar as correções apontadas pelo validador.
  • Feitas as correções ou em caso de não haver necessidade de corrigir algo na declaração, o arquivo estará pronto para ser transmitido através do outro programa, o TED (Transmissão Eletrônica de Documentos).  Ambos os programas estão disponíveis no site do governo do Mato Grosso do Sul.

Consulta Sintegra MS

Para acessar o Sintegra MS, basta executar os seguintes passos:

  • Acesse http://www.sefaz.ms.gov.br/consulta-cadastro/
  • Selecione em que tipo de produção ou circulação enquadra-se a empresa: se é agropecuária (CAP) ou comércio e indústria (CAI) ou se é de outro estado.
  • Em qualquer das opções, você deverá digitar o CNPJ ou a Inscrição Estadual da empresa e clicar em consultar.


Endereço e Telefone Sintegra MS

O endereço é Avenida Desembargador José Nunes da Cunha, bloco 02.

O telefone é (67) 3318-3269.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

Sintegra SE

O Sintegra SE é um programa ligado a Secretaria da Fazenda de cada estado da federação que visa realizar o controle fiscal das operações de circulação de mercadorias e serviços pelas empresas.

Através do validador Sintegra, o programa também analisará as declarações enviadas pelas empresas, de modo a verificar se essas declarações atendem ao que a legislação preconiza, visando assegurar que os documentos enviados estejam em um formato único.

A vantagem do validador é a economia de tempo para contribuintes e para o órgão público, pois, o programa em si já verifica se está tudo correto, e se não, já avisa imediatamente o contribuinte.

Daremos aqui nesse texto uma rápida explicação a respeito do funcionamento do Sintegra no estado de Sergipe.

Sintegra SE
Sintegra SE

Como Funciona o Sintegra SE

Conforme dito, o Sintegra tem como finalidade tanto ter uma visão detalhada a respeito das atividades operacionais dos contribuintes, referentes à circulação de mercadorias e prestação de serviços tanto verificar, através do validador, se os arquivos enviados pelas empresas estão de acordo com a legislação de cada estado.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O SINTEGRA SE

A primeira finalidade tem como objetivo evitar erros no recolhimento dos impostos, pois, o arquivo deve conter o detalhamento das operações realizadas tanto dentro do Estado de Sergipe quanto para outros estados, e, devido ao fato do ICMS e ISS, por exemplo, terem diferentes alíquotas de acordo com o produto, de acordo com o local onde foi realizado a operação, entre outros detalhes.

O controle faz-se necessário para evitar evasão fiscal.  Referente à segunda finalidade, os documentos necessitam seguir uma padronização de modo a evitar desorganizações, afinal, são declarações enviadas a um órgão público, portanto, é necessário que todas as declarações contenham as mesmas informações para todas as empresas.

Tal como em outros estados, são dois arquivos separados:  um é o validador, que, conforme já dissemos, verificará se o arquivo enviado pelo contribuinte está de acordo com o que a lei exige.  O contribuinte submeterá o arquivo a esse programa, se estiver tudo de acordo, o programa copiará o arquivo para um disquete. Essa cópia será criptografada, e, após isso, o programa emitirá um recibo.

Com o arquivo validado, o contribuinte enviará esse documento através do programa TED – Transmissão Eletrônica Digital – para o fisco, e é no TED que será emitido outro recibo de envio do documento, dessa vez sendo o arquivo definitivo.  Há também a possibilidade de o arquivo estar em desacordo com os padrões exigidos, nesse caso, o contribuinte deverá efetuar as correções, para submeter novamente ao validador.

Se nesse reenvio, estiver tudo conforme o que a legislação requer, aí sim, o contribuinte poderá enviar o arquivo de forma definitiva para o fisco através do TED.

Veja também:

Consulta Sintegra SE

Para você que deseja acessar o Sintegra SE, é simples, basta efetuar os procedimentos abaixo:

  • Acesse security.sefaz.se.gov.br
  • Se quiser consultar por CNPJ, digite o número do CNPJ, digite o código exibido pela imagem e clique em ‘Consulta por CNPJ’.
  • Caso deseje consultar o Sintegra através da Inscrição Estadual, digite o número da IE, digite o código de segurança exibido e clique em ‘Consulta por I.E’.

Endereço e Telefone Sintegra SE

Avenida Tancredo Neves, nº 151- Centro Administrativo Augusto Franco.  Telefone: (0xx79) 3216-7000.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

Sintegra RO

O Sintegra RO é um sistema de transmissão de informações acerca de atividades de operações de circulação de mercadorias e de serviços e que está presente em todos os estados brasileiros.

Seu modo de funcionamento é basicamente o mesmo partindo de um tripé:  desenvolvimento do arquivo contendo as atividades realizadas + submissão do arquivo ao validador + envio ao fisco através da TED – Transmissão Eletrônica Digital.

Quando submetemos o arquivo ao validador é possível que o arquivo seja aceito – quando não contém nenhum erro-, e daí, será gerado um arquivo para envio pelo TED, ou, caso haja erros no arquivo que o contribuinte submeteu, o programa apontará os erros que o contribuinte deverá corrigir antes de tentar enviar novamente o arquivo para validação.

Aqui damos algumas informações básicas a respeito do funcionamento no Sintegra no estado de Rondônia, caso haja mais dúvidas, é possível entrar em contato direto com a Secretaria de Finanças, via e-mail ou por telefone.

Sintegra RO
Sintegra RO

O que é o Sintegra RO

Ele integra o conjunto de informações a respeito de operações interestaduais e/ou estaduais envolvendo circulação de mercadorias e serviços, ou seja, é um controle para as operações de mercadorias e serviços de mercadorias, dentro do estado, assim como serviços interestaduais.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O SINTEGRA RO

Devido ao fato de cada estado contar com uma alíquota diferente para esses serviços, é necessário que haja um controle fiscal para cada estado a respeito de toda essa circulação, de modo a evitar conflitos por guerra fiscal ou arrecadação a menos por conta de sonegações ou pagamentos equivocados do imposto.

Vale lembrar que a legislação tributária é extremamente complexa e que considerando uma empresa de porte grande, com inúmeras circulações de mercadorias e serviços, que realiza operações para outros estados, haverá um número infinito de alíquotas diferentes para serem aplicadas, e, isso pode acontecer.

Portanto, para evitar problemas desse tipo, existe o Sintegra. Além disso, há a questão da padronização do arquivo:  é um documento, portanto, necessita-se que haja o cumprimento de certos requisitos, caso contrário, fica complicado de entender o que uma empresa quis dizer e o que ela realmente fez.


Como Funciona o Sintegra RO

Tal como acontece nos demais estados, o contribuinte deverá primeiro submeter o arquivo através do programa Validador Sintegra, de modo a verificar erros existentes por conta de não padronização do arquivo ou informações digitadas erradas ou alguma outra informação.

Se não houver nenhum erro, ele poderá já submeter o arquivo validado através do programa TED – Transmissão Eletrônica Digital -; porém, se houver erros,  o contribuinte necessita corrigi-los,  submeter mais uma vez pelo  validador e, aí   caso não houver nenhum erro,  ele enviará o arquivo validado pelo programa TED, e assim, o arquivo chegará ao fisco do estado de Rondônia.

Conheça também:

  • Sintegra TO;
  • Sintegra AM.

Consulta Sintegra RO


Endereço e Telefone Sintegra RO

O atendimento geral é no número (69) 3211-6100, de segunda à sexta-feira das 07h30min às 13h30min. É possível também o atendimento pelo e-mail [email protected]

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

Sintegra TO

Sintegra TO – Esse programa tem como finalidade um controle fiscal e de padronização de documentos por parte dos fiscos de cada estado.

Não é algo difícil a entender, ainda que tenham inúmeros detalhes, porém, a forma de enviar os arquivos, a necessidade de enviar primeiro ao validador, e as justificativas sobre o porquê do programa Sintegra são basicamente as mesmas.

O site do fisco do estado do Tocantins contém informações detalhadas a respeito do programa Sintegra, aqui estamos dando apenas uma apresentação resumida a respeito do assunto.

É necessário também todo esse procedimento, além de todas as razões já elencadas, para evitar eventuais guerras fiscais entre as unidades da federação por conta de quem seria competente ou não para receber aquele tributo.

Cabe ressaltar também que, em alguns casos, os procedimentos para a declaração do SINTEGRA para contribuintes de outros estados podem variar um pouco, como acontece na Bahia, portanto, necessário informar-se com o fisco do seu estado.

De qualquer forma, apresentaremos aqui alguns pontos sobre o tema para você não se confundir na hora de fazer o seu Sintegra TO.

Sintegra TO
Sintegra TO

O que é o Sintegra TO

As empresas devem manter um controle sobre as operações de suas atividades referentes à compra e venda de mercadorias, bem como de prestação de serviços, seja no Tocantins, ou para outro estado.

Após a elaboração desse arquivo, ao final do mês, o contribuinte deverá enviar ao Sintegra, sistema do governo, para validar a declaração e detectar algum erro.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O SINTEGRA TO

O Sintegra visa também um controle fiscal acerca dessas operações de modo a verificar se os contribuintes estão pagando os impostos relacionados com mercadorias e serviços de maneira adequada, ou seja, pagando as alíquotas correspondentes com cada espécie de operação.

Isso porque, os impostos sobre mercadorias e serviços, como ISS ou ICMS possuem diversas alíquotas, variando conforme o estado, a mercadoria, se é operação interestadual ou dentro do próprio estado, e no caso dos municípios em relação aos impostos de serviços, se a operação é municipal ou intermunicipal.

Visa, portanto, combater possíveis sonegações, havendo maior controle fiscal por parte dos fiscos estaduais.

Conheça também:

Como Funciona o Sintegra TO

Em primeiro lugar, o contribuinte deverá elaborar o arquivo contento o relatório das atividades envolvendo operações com mercadorias ou serviços dentro de um período de tempo, normalmente, mensal.

Após isso, ele deverá submeter o arquivo ao ‘Validador Sintegra’, que é um programa no qual verificará se o contribuinte elaborou o arquivo seguindo tudo o que a legislação exige ou se há alguma pendência.  Em caso de existência de erros, o consumidor deverá arrumar os problemas apontados e submeter novamente ao validador.

Se, dessa vez, estiver tudo ok, ele poderá enviar ao fisco o arquivo.  Normalmente, o validador e o transmissor digital podem ser dois programas distintos ou poderá ser um único programa, e é comum que estejam disponíveis na internet os programas para download.

Se desejar maiores detalhes, acesse o site da Secretaria da Fazenda do Tocantins:  http://www.sefaz.to.gov.br/perguntas-frequentes/sintegra/, que contém todos os detalhes a respeito do Sintegra.

Consulta Sintegra TO

  • Acesse http://sintegra.sefaz.to.gov.br/sintegra/servlet/wpsico01
  • Se quiser consultar por CPF, digite o número do CPF, valide o capta a e clique em consulta por CPF.
  • Se quiser consultar por CNPJ, digite o CNPJ, valide o capta a e clique em consulta por CNPJ.
  • Caso queira consultar pela Inscrição Estadual, digite a ICE, valide o capta a e clique em consulta por I.E.

Endereço e Telefone Sintegra TO

Os telefones para contato são:  0800- 63 1144 ou (63) 3218-1200.  Nesse endereço http://www.sefaz.to.gov.br/institucional/unidades/ você poderá verificar o endereço das unidades da Secretaria da Fazenda no estado do Tocantins.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...

Sintegra PI

Sintegra PI – Ele é um programa de alcance nacional que fará com que todos os arquivos enviados pelos contribuintes sigam a mesma formatação, e controlará, através da análise desses arquivos, se os contribuintes estão pagando os valores corretos de impostos de mercadorias e serviços, interestaduais ou estaduais.

Para saber mais sobre o Sintegra 2019 PI, acompanhe o texto abaixo.

Sintegra PI
Sintegra PI

O que é o Sintegra PI

O Sintegra, através do envio dos arquivos por parte dos contribuintes, contém todos os detalhes acerca do que a empresa operou dentro de um período em relação à compra ou venda de mercadorias ou prestação de serviços, dentro do estado ou entre os diversos estados.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O SINTEGRA PI

Detectará, portanto, se a empresa comercializou mais, e, portanto, deve mais impostos, e, da mesma forma, se o arquivo enviado cumpre com a exigência legal.

Toda a verificação dessas pendências ou erros será realizada pelo ‘Validador Sintegra’, e essas inconstâncias podem ser as mais diversas tais como erros de digitação, CNPJ incorreto, ou erro no fornecimento de alguma outra informação, por exemplo.

A respeito da segunda importância do Sintegra, que é o controle fiscal por parte do fisco estadual, esse controle fiscal é necessário, ressalta-se tanto para a comercialização interestadual quanto as que ocorrem dentro do estado, justamente porque os impostos sobre mercadorias e serviços tem diversas alíquotas a depender do ente competente que arrecada o tributo e dependendo também do tipo de operação realizada.

Portanto, as divergências podem levar a eventuais sonegações ou pagamentos feitos com uma alíquota superior, por exemplo, justamente porque, por conta da legislação extremamente complexa, é fácil de acabar confundindo-se na arrecadação.

Voltando a tratar sobre o validador, ele é importante também porque padroniza o modelo das declarações, pois, por ser algo público – no sentido de que é uma documentação com destinação a um órgão público – é necessário que haja essa padronização, conforme a legislação estadual determina.

Como se não bastasse, por serem arquivos digitais, é possível que um erro no envio impossibilite a leitura por parte do fisco, portanto, constará como se não estivesse enviado, estando sujeito a penas.

Lembre-se, todavia, que a declaração só será enviada após ela ser processada pelo validador, e, portanto, quando não houver nenhum erro detectado.


Como Funciona o Sintegra PI

As empresas desenvolvem em um período mensal, normalmente, um relatório contendo as atividades que envolveram circulação de mercadorias e/ou serviços dentro e fora do estado do Piauí, e deverão enviá-la via eletrônica para o fisco.

Porém, tal como ocorre nos demais estados, essa declaração deverá passar, primeiramente pelo validador, de modo a verificar possíveis erros no formato do arquivo ou erros de informações, por exemplo.

Assim como ocorre em alguns outros estados, são dois arquivos distintos para a transmissão do arquivo e do validador:  portanto, primeiramente, você deverá verificar no arquivo do validador se está tudo correto com a sua declaração, se estiver, você poderá enviar diretamente pelo programa de transmissão o seu arquivo.

Caso não, o programa apontará quais são os erros existentes, nos quais você deverá arrumar.  Arrumando, envie novamente os arquivos para a validação, se dessa vez estiver tudo certo, o arquivo estará pronto para ser enviado através do programa de Transmissão Eletrônica Digital.

Veja também:

Consulta Sintegra PI

Para fazer a consulta do seu Consulta Sintegra PI, basta seguir o passo a passo abaixo:

Endereço e Telefone Sintegra PI

Avenida Pedro Freitas, s/n – Centro Administrativo, Bloco C, 2º andar.

O telefone é (86) 3216-9600.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5.00 out of 5)
Loading...